Blog

Sabia que

Acompanhante de luxo revela os seus segredos

Uma ex-acompanhante de luxo revelou os segredos que a levaram a tornar-se numa das mulheres mais desejadas de Wall Street, EUA.

“A verdade é que, mesmo os homens que me contratavam por três ou quatro horas, o sexo durava normalmente 15 minutos”, conta Svetlana Z, o nome que dá a si mesma, em declarações à revista Medium.

“A verdade é que, mesmo os homens que me contratavam por três ou quatro horas, o sexo durava normalmente 15 minutos…”

Enquanto acompanhante de luxo, a jovem cobrava mil euros por hora. Vinda da Rússia aos 19 anos, Svetlana Z confessa que durante os cinco anos em que foi acompanhante de luxo fingiu muitos orgasmos. Oitenta por cento dos homens queriam que ela tivesse um orgasmo durante a relação e alguns até insistiam para que fossem vários. Já 98% queriam fazer-lhe sexo oral.

Para manter um corpo escultural, Svetlana admite que “não comia muito”. Para além disso, tinha um personal trainer no ginásio e gastava centenas de dólares em maquilhagem, cabelo e roupas. Nunca teve um agente ou pertenceu a nenhum serviço de acompanhantes.

Em vez disso, gastava quatro mil dólares (3143 euros) por mês a publicitar-se em sites próprios. Tímida ou brincalhona Para agradar a diferentes tipos de homem, Svetlana promovia-se com dois nomes diferentes: Anna, uma rapariga “tímida e apaixonada”, e Angelina, que era “divertida e brincalhona”.

A ex-acompanhante conta que raramente bebia álcool, não consumia drogas, usava sempre preservativo e exigia pagamento adiantado. Para manter o clima de intimidade, Svetlana nunca falava dos seus problemas nem perguntava pelas famílias, embora confesse que os homens gostavam de elogiar os filhos. Os únicos problemas que teve com clientes foi com um que filmou a relação sexual às escondidas e com outro que ameaçou chamar a polícia caso ela não lhe proporcionasse sexo grátis.

No primeiro caso, Svetlana pegou no telemóvel e apagou a gravação, tendo depois mandado o homem sair. Ao segundo, a jovem ameaçou que ia publicar o número dele numa lista de acompanhantes gay. Preferia sexo com casais Svetlana confessou ainda que as suas sessões favoritas eram as de casais.

Nestas cobrava o dobro pelo mesmo trabalho, ou até menos. Também quando os homens queriam fazer coisas fora do normal a acompanhante cobrava um valor extra. Por exemplo, um deles uma vez quis cobri-la com mel. Svetlana aceitou mas o homem teve de pagar o triplo por cada hora que passou com ela.

Quando se mudou para os EUA, Svatlana Z tinha apenas 300 dólares (235 euros) na conta. Entrou neste mundo para juntar dinheiro rápido. Cinco anos depois, já tinha 200 mil dólares (157 mil euros). Deixou de ser acompanhante e agora é estudante de cinema e de psicologia.

Desde que deixou de ser acompanhante, já teve um namorado, um banqueiro, ironicamente. Mas a relação não resultou. Svetlana tem agora a esperança de um dia casar e de ter filhos.


Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *